Ponta Grossa - O deputado Plauto Miró Guimarães Filho apresentou projeto de lei, em conjunto com mais oito deputados, que prevê o congelamento do salário do governador do estado até dezembro de 2022.

No Paraná, o salário do chefe do executivo não pode ser maior que o recebido por um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), conforme especifica a Lei 15.433 de janeiro de 2007.
Ocorre que no final do ano passado o Senado aprovou um reajuste de 16,38% nos vencimentos dos ministros. O salário que era de R$ 33.763,00 passou para R$ 39.293,32.
A proposta apresentada na tarde desta quarta-feira (24) na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) pretende evitar um possível impacto negativo nas contas do Estado, caso se pretenda reajustar os vencimentos do govenador.
Se o projeto for aprovado pela maioria do plenário, os valores que estavam estabelecidos em dezembro de 2018 não serão alterados e, nos próximos 44 meses, o salário do governador ficará fixado em R$ 33.763,00, sem nenhum reajuste. O congelamento irá promover uma economia de mais de R$ 265 mil.
“Trata-se de uma tentativa de conter ainda mais os gastos públicos no Paraná. Acreditamos que isso vai contribuir com outras medidas que estão sendo adotadas para promover uma grande economia para o Estado”, afirmou o deputado Plauto.
Além do deputado Plauto, assinam o projeto os deputados Ademar Luiz Traiano, Luiz Claudio Romanelli, Gilson de Souza, Tercílio Turini, Requião Filho, Marcel Micheletto, Gilberto Ribeiro e Nelson Luersen.

 

..................................................
FONTE:
Gabinete da 1ª Vice-Presidência da ALEP
Assessoria de Imprensa